Os riscos da automedicação em crianças

Saiba quais são os riscos da automedicação em crianças


Todos os anos milhares de crianças são vítimas no mundo todo
 por falta atenção e imprudência dos pais e cuidadores

Por Dra. Priscila Zanotti Stagliorio
Pediatra e Médica de Emergência Infantil

      A automedicação é um dos hábitos mais populares dos brasileiros e, também, é considerada a causa do alto índice de intoxicação e até mesmo morte em crianças e adultos. Segundo o Instituto de Ciência Tecnologia e Qualidade (ICTQ), em pesquisa realizada no ano de 2016, 72% dos brasileiros se medicam por conta própria e ainda aumentam a quantidade das doses e ou os intervalos entre elas com a intenção de melhora mais rápida, o que não é verdade.

      No Brasil, todos os anos ocorrem cerca de 30 mil casos de internações de crianças decorrentes ao uso incorreto de medicamentos e, por consequência, diagnósticos graves de alergias e intoxicações. Deste número, cerca de 35% das vítimas são menores de cinco anos de idade e são as mais sensíveis ao uso de medicamentos e similares. No texto de hoje vou falar mais sobre este tema e tentar alertar os pais e mães sobre os principais riscos e cuidados com a automedicação consciente.


O que é a automedicação:
                A automedicação é caracterizada pela compra e ingestão de remédios e similares (homeopáticos e outros consideradas naturais) sem a orientação e prescrição de um médico e especialista na área de saúde ara alívio de sintomas de dores e doenças.



Riscos da automedicação:

       A prática de automedicação coloca em risco a saúde e a vida do paciente/doente e pode, também, provocar intoxicações, alergias graves, além de efeitos contrários ao indicado na bula.  Se combinado com outros remédios sem a orientação do médico pode potencializar a ação de alguns princípios ativos e anular outros comprometendo os resultados e o tratamento de doenças. No caso dos antibióticos pode, ainda, favorecer o surgimento de superbactérias que ao decorrer do uso abusivo deste tipo de medicamento serão difíceis de combater. Também, a automedicação mascara o diagnóstico de doenças que precisam de tratamentos imediatos, pois quando alguém toma remédio por conta para minimizar sintomas, atrasa a avaliação do médico colocando sua saúde em risco.  

Cuidados com os medicamentos perto das crianças:


       As crianças são as maiores vítimas de intoxicação por medicamentos, seguido por produtos de limpeza e similares. Isso ocorre principalmente pelo fato de elas não terem sabedoria suficiente para distinguir um comprimido de uma bala ou um xarope colorido de um suco, por exemplo. Por tal, é importante manter remédios, produtos de limpeza e similares longe do alcance delas e bem fechados. Também, reforcem a importância de sempre mostrarem para os pais tudo o que encontram pela casa ou outros locais para que, desta maneira, evitem a ingestão de algo inoportuno. Façam o mesmo para que as crianças não aceitem nada de pessoas estranhas, fazendo valer as recomendações das nossas avós e mães.

Momentos de desespero levam à automedicação:


     Os motivos que levam as pessoas para a automedicação são inúmeros e não estamos aqui para julgar, mas alertar sobre os riscos. Muitos pais e mães o fazem no momento de desespero e por falta de orientações corretas. Alguns seguem os conselhos das avós, das tias e mesmo de pessoas que passam a falsa segurança de que a automedicação é melhor para a criança. Lembrem-se: somente o médico é capacitado para oferecer um diagnóstico correto e seguro para todos nós!


Nunca procure ajuda na internet:

     Os buscadores de informações pela internet são alvo de busca por tratamentos e diagnósticos, além de sites de saúde e de médicos que escrevem artigos de cunho educativo e esclarecedor. Eu mesma, por exemplo, recebo todos os dias em minha página no Facebook (@dicasdepediatraemae) inúmeros pedidos de ajuda e solicitações de consultas online, além de indicações de remédios, tratamentos e complementações alimentares. Como resposta (para todos) sempre indico que os pais/mães devem procurar seus pediatras em consulta presencial para avaliação correta e acompanhamento clínico da criança.  

       É importante dizer, ainda, que NÃO SE PODE CLINICAR PELA INTERNET, pois além de proibido pelos órgãos reguladores, os pais devem ter em mente que as chances de o diagnóstico ser errado são enormes, podendo colocar a vida de seus filhos em risco. Precisamos de mais conscientização das pessoas sobre este problema cada dia mais crescente. Vale dizer, também, que as farmácias não devem ser alvo de busca por tratamentos, pois lá se vendem remédios e não há médicos para avaliar o possível problema de saúde. Nunca compre medicamentos sem a orientação do pediatra ou médico especialista em para a sua saúde!

Campeões de vendas sem indicação médica:


     Entre os remédios campeões de vendas sem indicação médica e que podem ser comprados nas farmácias sem fiscalização ou sem prescrição médica estão:  antitérmicos, analgésicos, anti-inflamatórios, xaropes, inalações e remédios alternativos (naturais ou homeopáticos) dos quais seus princípios ativos podem provocar reações adversas em pessoas sensíveis e alérgicas a algum componente da fórmula.

Recomendações finais:


     Lidar com a dor e o sofrimento de uma doença não é fácil e nunca será. Posso afirmar isso pois além de médica também sou mãe e não fico tranquila quando minha filha adoece. No entanto, recomendo para todos que nunca se automediquem, aumentem ou diminuam as doses das medicações ou procurem orientações pela internet. 

     Cada caso é único e todos os pacientes devem ser avaliados separadamente. Muitas doenças podem ter sintomas similares, causar dúvidas e até mesmo reações parecidas, mas a quaisquer sintomas e dores, é importante a avaliação clínica (presencial) e até exames se necessário para garantir o diagnóstico e tratamento correto. Reforço em dizer a todos para nunca automedicarem seus filhos, familiares e a si mesmos, pois a vida vale muito para ser colocada em risco pela imprudência!


Quer receber dicas de saúde e bem-estar?
Então cadastre-se no nosso site (http://pediatraonlinedicasdepediatraemae.blogspot.com.br)  e curta a nossa página no Facebook – Pediatra On line - @dicasdepediatraemae

Sobre Dra. Priscila Zanotti Stagliorio
É médica pediatra há mais de dez anos, atua na zona norte de São Paulo, em consultório particular, no Pronto Socorro do Hospital São Camilo – unidade Santana, e na rede Dr. Consulta – unidades Tucuruvi e Santana. Em seu currículo possui diversas participações em congressos, cursos de especialização e atuações em prontos socorros, clinicas e ambulatórios médicos da grande São Paulo – Capital. Oferece curso personalizado para gestantes e mamães com recém-nascidos, com o objetivo de ajudá-las na mais importante missão de suas vidas: ser mãe. Para solicitar informações sobre os cursos escreva para:  priscilazs@yahoo.com.br / dicasdepediatraemae@gmail.com / contato@jcgcomunicacao.com - coloque no assunto a informação que deseja saber e ou solicitar. O consultório está localizado na Av. Leôncio de Magalhães, 395, Santana- SP / 11- 2977-8697.

Colaboração textual:
JCG Comunicação e MKT
 Jornalista Carina Gonçalves – MTB 48326

11-4113-6820 / carinacgoncalves@gmail.com